Estilos

Conheça mais sobre os estilos arquitetônicos, suas características e detalhes no Brasil e no mundo.
Egípcio

  Arquitetura do Egito Antigo, floresceu com a unificação do Alto e do Baixo Egito sob o primeiro faraó, Menés. Trata-se de uma arquitetura com manifestações artísticas e uma profunda religiosidade, dando um caráter monumental aos templos e às construções mortuárias.

 

 

Surgimento: 3200 a.C., Egito Antigo

 

Atuação: Até 30 a.C.

 

Arquitetos: Imhotep, Senenmut, Ramsés II, Snefru

 

Características:

- Dimensões grandiosas

- Simplicidade nas formas

- Aspecto maciço e pesado

- Predominância das superfícies sobre os vazios

- Policromia

 

Elementos:

- Colunas (dividido conforme seu capitel, que é a extremidade superior)

>Palmiforme • capitel na forma da flor da palmeira

>Papiriforme • capitel na forma da flor do papiro, aberta ou fechada

>Lotiforme • capitel na forma da flor de lótus

- Cornijas

- Pilones

- Obelisco

- Sarcófagos

- Túmulos

>Mastabas (simples estruturas de tijolos, com laterais inclinadas e teto plano)

>Pirâmides (escalonada, de face lisa, curva)

>Hipogeus (escavados na rocha em morros)

- Templos

 

Obras:

- Pirâmides de Gizé • Gizé,Egito • Quéops, Quéfren, Miquerinos

- Templo de Hatshepsut • Luxor, Egito • Senenmut

- Templo Abu Simbel • Aswan, Egito • Ramsés II

Grego

Os gregos antigos se destacaram muito no mundo das artes. As esculturas, pinturas e obras de arquitetura impressionam, até os dias de hoje, pela beleza e perfeição.

 

Concentra-se na arquitetura religiosa – templos – com grande rigor de dimensões, estabelecendo proporções matematicamente precisas.

 

São conhecidas até hoje por sua perfeita simetria na distância de colunas, apoio de frontão e em todos os mínimos detalhes.

 

 

Surgimento: Século VII a.C., Grécia

 

Atuação: Até século I a.C.

 

Arquitetos: Agamedes, Fídias, Ictinos, Dinócrates

 

Características:

- Ordem

- Beleza

- Simetria

- Estruturas retangulares

- Sequências de colunas

- Escadarias até o templo

 

Elementos:

- Frontão

- Entablamento

- Colunas (divididas em ordens)

>Dórica • masculinidade, força, solidez

>Jônica • feminilidade, beleza, formas longilíneas

>Coríntia • folhagens, natureza

- Crepidoma

- Friso

- Arquitrave

- Base

- Cornija

 

Obras:

- Partenon • Atenas, Grécia • Fídias, Ictinos, Calícrates

- Templo de Ártemis • Éfeso, Turquia • Quersifrão, Metagenes

- Templo de Segesta • Sicília, Itália

Romano

A arquitetura da Roma Antiga é um importante legado da civilização romana para o mundo ocidental. Embora às vezes considerada como derivada da arquitetura grega, diferenciou-se por características próprias.

 

 A herança da Grécia deu-se através das ordens dórica e jônica e coríntia.

 

 

Surgimento: Ano 110 a.C., Roma, Itália

 

Atuação: Até ano 20 a.C.

 

Arquitetos: Vespasiano, Tito, naquela época os próprios imperadores participavam ativamente do projeto

 

Características:

- Imponência

- Predominantemente cores bege

- Sequência de colunas para estrutura

- Solidez

- Construções sóbrias, funcionais e luxuosas

 

Elementos:

- Colunas (divididas em ordens)

>Toscana (um dórico mais simplificado)

>Compósita (que unia coríntio e jônico)

- Arcos

- Abóbodas

- Cúpulas

- Ático

- Cornija

- Chave do arco

- Pedestal

- Entablamento

- Templos

 

Obras:

- Coliseu • Roma, Itália

- Torre de Pisa • Pisa, Itália • Bonanno Pisano

- Panteão de Roma • Roma, Itália

Gótico

Com o gótico, a arquitetura ocidental atingiu um dos pontos culminantes da arquitetura pura. Caracterizada pela suntuosidade das construções, ligada ao caráter religioso do estilo, a arquitetura gótica expandiu-se para grande parte do continente nos séculos posteriores. A arquitetura gótica foi desenvolvida a partir das construções do estilo românico, muito difundido anteriormente.

 

O estilo ficou marcado em muitas catedrais europeias, a maioria classificada como Patrimônio Mundial da UNESCO, todas construídas no século XII. Muitas catedrais góticas caracterizam-se pelo verticalismo e majestade, denominando-se durante a Idade Média, como supremacia e influência para a população.

 

 

Surgimento: Final do século XII, Europa

 

Atuação: Até meados do Século XVI

 

Arquitetos: Villard de Honnecourt, Pierre Poisson, Juan Guas, Guillem Sagrera

 

Características:

- Verticalização

- Majestade

- Robusta

- Extremidade de torres pontiagudas

- Cores frias

- Três naves, uma central e duas laterais

 

Elementos:

- Abóbodas

- Rosáceas

- Vitrais

- Arcos de ogiva ou ogivais (também chamados de arcos cruzados)

- Gárgulas

- Pináculo

- Arcobotante

- Contraforte

- Clerestório

- Arco a sesto acuto

 

Obras:

- Catedral de Notre Dame • Paris, França

- Catedral de Milão • Milão, Itália • Donato Bramante

- Catedral de Chartres • Chartres, França • Fulberto de Chartres

Colonial

Durante o período colonial, os colonizadores importaram as correntes estilísticas da Europa à colônia, adaptando-as às condições materiais e sócio-econômicas locais.

Encontram-se no Brasil edifícios coloniais com traços arquitetônicos renascentistas, maneiristas, barrocos, rococós e neoclássicos.

A importância do legado arquitetônico e artístico colonial no Brasil é atestada pelos conjuntos e monumentos desta origem que foram declarados Patrimônio Mundial pela UNESCO.


 

Surgimento: 1500, Brasil (colônia)

 

Atuação: Até 1822

 

Arquitetos: Francisco Frias de Mesquita, José Fernandes Pinto Alpoim, José da Costa e Silva, José Custódio de Sá e Faria

 

Características:

- Geminação

- Nas igrejas coloniais, muitas curvas e trabalho nas pontas

- Nas residências, traços mais retos com janelas sequenciais e telhado 4 ou 2 águas

- Residências construídas sobre o alinhamento das vias públicas e sobre os limites laterais dos terrenos

- As vias eram traçadas conforme as casas

- Lotes estreitos e profundos

- Criação de praças junto a edifícios religiosos
 

Elementos:

- Cor 

- Paredes de pau-a-pique, adobe ou taipa de pilão

- Beirais

- Sancas

- Chafarizes
 

Obras:

- Centros históricos de Salvador, Paraty, Ouro Preto, São Luís do Maranhão, Brasil

- Casa Esperança • São Sebastião, Brasil

- Mosteiro de São Bento • Pernambuco, Brasil

Barroco

Considerando que o Renascimento contou com a riqueza e o poder dos tribunais italianos e era uma mistura de forças seculares e religiosas, o Barroco foi, pelo menos inicialmente, diretamente ligada à Contra-Reforma, um movimento dentro da Igreja Católica a reformar-se, em resposta para a Reforma Protestante. 

 

É libertação da simetria e da antítese entre espaço interior e exterior, se destacando também por exagero de ornamentação interna e externamente, decorações verticais e por vezes estátuas como decoração externa.

 

Surgimento: Século XVI, Europa

 

Atuação: Até a primeira metade do século XVIII

 

Arquitetos: Francesco Borromini, François Mansart, Aleijadinho, Gian Lorenzo Bernini

 

Características:

- Ornamentação

- Dinamismo plástico

- Suntuosidade e imponência

- Uso de jogos de claro-escuro pela construção de massas sinuosas ou lisas

- Simetria, tanto em ornamentos, quanto em plantas e fachadas

 

Elementos:

- Colunas torsas, helicoidais, duplas ou triplas e escalonadas

- Frontões compostos ou interrompidos, que reforçam o movimento ascensional das fachadas

- Decorações naturalistas

- Elementos contorcidos e espirais, produzindo diferentes efeitos perspectivos e ilusórios

- Cartucho, painel oval com bordas enroladas ou cristas, usado em fachadas para emoldurar um brasão de armas, geralmente usado dentro do frontão

- Consolos ou mísulas

 

Obras:

- Palácio de Versailles • Versailles, França • Jules Hardouin-Mansart, Louis Le Vau, Ange-Jacques Gabriel, Robert de Cotte, Philibert Le Roy, Jacques Gabriel

- Igreja de Sant Agnese • Agone, Roma, Itália • Francesco Borromini

-Igreja do Val-de-Grâce • Paris, França • François Mansart

Neoclássico

Recuperação da gramática formal da antiguidade clássica grega e romana.

O período de desenvolvimento deste estilo coincide com aquele que os historiadores da economia designam de Revolução Industrial.

O retorno às raízes artísticas da civilização ocidental, a antiguidade greco-romana, parece ser a solução para encontrar a estabilidade e as possibilidades de progresso.


 

Surgimento: Século XVIII, Europa

Atuação: Século XX

Arquitetos: Andreyan Zakharov, Charles De Wailly, Christian Frederik Hansen, Antonio Corazzi

Características:
- Trazer de volta para construção, não importando se é residência, prédios comerciais, residenciais, shoppings.
- Utilização de elementos da arquitetura Romana e Grega.
- Materiais nobres (pedra, mármore, granito, madeiras)
- Sistemas construtivos simples
- Formas regulares, geométricas e simétricas
- Volumes corpóreos, maciços, bem definidos por planos murais lisos
- Espaços interiores organizados segundo critérios geométricos e formais de grande racionalidade
- Decoração caracterizada por elementos estruturais com formas clássicas, pintura rural e relevo em estuque

Elementos:
- Abóbada de berço ou de aresta
- Cúpulas
- Pórticos colunados
- Entablamentos direitos
- Frontão
- Friso
- Arquitrave
- Coluna
- Capitel
- Base
- Cornija
- Entablamento
- Friso

Obras:
- Panteão • Paris, França • J-G Soufflot, J-B Rondelet
- Catedral de São Isaac • São Petersburgo, Rússia • Auguste de Montferrand
- Grande Teatro de Varsovia • Varsovia, Polonia • Antoni Corazzi

Neogótico

 Neogótico é um estilo de arquitetura revivalista dos ornamentos e características da arquitetura Gótica.


O movimento de revivalismo gótico teve uma influência significativa na Europa e nas Américas, e talvez tenha sido construída mais arquitetura gótica revivalista nos séculos XIX e XX do que durante o movimento gótico original.

Surgimento: Meados do século XVIII, Europa

Atuação: Ainda atuante

Arquitetos: Christopher Wren, John Vanbrugh, Maximilian Emil Heh, Viollet-le-Duc

Características:
Trazer de volta elementos da arquitetura gótica para o presente
- Verticalização
- Majestade
- Robusta
- Extremidade de torres pontiagudas
- Cores frias
- Três naves, uma central e duas laterais

Elementos:
- Abóbodas
- Rosáceas
- Vitrais
- Arcos de ogiva ou ogivais (também chamados de arcos cruzados)
- Gárgulas
- Pináculo
- Arcobotante
- Contraforte
- Clerestório
- Arco a sesto acuto

Obras:

- Catedral da Sé • São Paulo, Brasil • Maximilian Emil Hehl
- Torre Tom • Wilshire, Inglaterra • Sir Christopher Wren
- Basílica de Sainte-Clotilde • Paris, França • FC Gau

Art nouveau

A principal característica desse estilo é o abandono de linhas retas, predominando as linhas curvas e assimétricas.
 

A maior fonte de inspiração dos artistas era a natureza, com o uso de flores e plantas para dar ideia de movimento, ou então insetos, para dar dinâmica às formas, com estilo floreado.


 

Surgimento: 1890, Europa

Atuação: Até 1910

Arquitetos: Willian Morris, Antoni Gaudi, Ernest Delune, Samuel Bing

Características:
- Utilização de materiais como, por exemplo, vidro, madeira e cimento
- Relação com a produção industrial em série
- Valorização da lógica e do conhecimento racional
- Produção artesanal
- Valorização de temas ligados à natureza (plantas, flores, árvores e animais), retratados com linhas em movimento, dando valor às formas
- Uso de arabescos em ilustrações

Elementos:
- Ferro
- Vidro
- Cores com tonalidades frias
- Arcos com vidros
- Linhas orgânicas
- Vestíbulo
- Tecido e papéis de parede

Obras:
- Casa Tassel • Bruxelas, Bélgica • Victor Horta
- Casa Batlló • Barcelona, Espanha • Antoni Gaudi
- Museu de Artes Aplicadas • Budapeste, Hungria • Odön Lechner

Eclético

O Ecletismo é a mistura de estilos arquitetônicos do passado para a criação de uma nova linguagem arquitetônica.

 

No Brasil, a arquitetura eclética foi uma tendência dentro do chamado academicismo propagado pela Academia Imperial de Belas Artes e pela sua sucessora, a Escola Nacional de Belas Artes, ao longo do século XIX. E também comprometido com a arquitetura eclética, o Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

 

Do ponto de vista técnico, a arquitetura eclética também se aproveitou dos novos avanços da engenharia do século XIX, como a que possibilitou construções com estruturas de ferro forjado.

 

 

Surgimento: Meados do século XIX, Europa

 

Atuação: Até as primeiras décadas do século XX

 

Arquitetos: Ramos de Azevedo, Theodor Wiederspahn, Claude-Nicolas Ledoux, William Thornton

 

Características:

- Estruturas de ferro forjado

- Surgimento dos porões

- Cores claras, tons pastel

- Valorização da esquina chanfrada,

- Conservação do alinhamento da via através das edificações, mas utilizam o recuo lateral como entrada da edificação (pátio)

 

Elementos:

- Elementos arquitetônicos de outros estilos (clássico, medieval, renascentista, barroco e neoclássico), formando uma linguagem única

- Platibanda

- Arco

- Bandeira

- Pináculos

- Janelas amplas e altas para a circulação

 

Obras:

- Pavilhão Real de Brighton • Brighton, Inglaterra • John Nash

- Palácio de Westminster (Casas do Parlamento) • Londres, Inglaterra • Sir Charles Barry e Augustus Pugin

- Pinacoteca do Estado de São Paulo • São Paulo, Brasil •  Ramos de Azevedo e Domiciano Rossi

Bauhaus

A Bauhaus foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado Modernismo no design e na arquitetura, sendo a primeira escola de design do mundo.

 

A escola foi fundada por Walter Gropius, a partir da reunião da Escola do Grão-Duque para Artes Plásticas. A maior parte dos trabalhos feitos pelos alunos nas aulas-oficina foi vendida durante a Segunda Guerra Mundial.

 

Um dos objetivos principais da Bauhaus era unir artes, produzir artesanato e tecnologia. A máquina era valorizada, e a produção industrial e o desenho de produtos tinham lugar de destaque.

 

Surgimento: 1919, Alemanha

Atuação: Até 1933

Arquitetos: Walter Gropius, Le Corbusier, Hannes Meyer, Mies Van der Rohe

Características
- Relação íntima entre arquitetura e urbanismo 
- Corte radical com o passado: abolição da forma natural, eliminando tudo aquilo que se oponha à arte pura 
- Utilização e atenção às características especificar de novos materiais, pré-fabricados como madeira, aço, betão, vidro 
- Simplificação dos volumes, geometrização das formas e predomínio de linhas retas

Elementos
- Vidro 
- Guarnições 
- Ângulos retos 
- Paredes lisas e, geralmente, brancas, abolindo a decoração 
- Coberturas planas, transformadas em terraços 
- Amplas janelas, em fita, ou fachadas de vidro 
- Abolição das paredes internas


Obras:
- Sede da Bauhaus • Dessau, Alemanha • Walter Gropius
- Fábrica Van Nelle • Roterdã, Holanda • Leendert Van der Vlugt
- Crown Hall • Ilinois,Estados Unidos • Mies Van Der Rohe

Construtivista

O Construtivismo foi um movimento estético-político, negava uma "arte pura" e procurava abolir a ideia de que a arte é um elemento especial da criação humana, separada do mundo cotidiano.

 

 A arte, inspirada pelas novas conquistas do novo Estado Operário, deveria se inspirar nas novas perspectivas abertas pela máquina e pela industrialização servindo a objetivos sociais e a construção de um mundo socialista.

 

 

Surgimento: 1919, Rússia

 

Atuação: Até 1934

 

Arquitetos: Alexandr Rodchenko, Varvara Stepanova, Vladímir Tatlin, Ivan Leonidov

 

Características:

- A arquitetura tende a se tornar cenográfica e formalista

- Funções mais ideais e imaginárias do que reais

- Futurismo

 

Elementos:

- Desproporção a escala humana

- Cores primárias

- Elementos geométricos

 

Obras:

- Zuyev Workers' Club • Moscou, Rússia • Ilya Golosov

- Narkomtiazhprom • Moscou, Rússia • Ivan Leonidov

- Wolkenbügel • São Petersburgo, Rússia • El Lissitzky

Escola de Chicago

Representa um estilo de construção que passa a utilizar o ferro na estrutura ao invés da madeira, sendo produzido em série, arranha-céus são comuns, pois podiam fazer torres mais altas com o uso do ferro na estrutura vertical.
 

Foi o início da construção em altura, até então um pouco inviável devido à inexistência de elevadores elétricos.

 

 

Surgimento: Século XIX, Estados Unidos

 

Atuação: Século XX

 

Arquitetos: Louis Sullivan, Le Baron Jenney, Daniel Burnham, John W. Root 

 

Características:

- Obras robustas 

- Janelas sequenciais e próximas umas das outras

- Quase não tendo como diferenciar um pavimento do outro

- Edifícios predominantemente marrons e bege com ar comercial (fábrica)

- Produção Industrial

- Racionalidade/ Ortogonalidade

- Verticalismo

 

Elementos:

- Concreto armado

- Aço

- Arcos

- Platibanda

- Ferro

 

Obras:

- Edifício Fuller • Nova Iorque, EUA • Daniel Burnham

- Edifício Auditorium • Chicago, EUA • Dunkmar Adler

- Sullivan Center • Chicago, EUA • Louis Sullivan

Art déco

Art déco é um estilo artístico de caráter decorativo, esse estilo esteve presente na arquitetura, design industrial, mobiliário, moda e decoração.

 

Num primeiro momento (década de 20) seguiu um estilo mais luxuoso, com uso de materiais como, por exemplo, marfim e jade.

Nesta fase, o Art déco ficou muito ligada aos anseios artísticos e culturais da burguesia europeia.

 

No final desta década então, quando ganha força n

os Estados Unidos, vai para o caminho do design industrial, utilizando-se de materiais que possibilitam a produção em larga escala.

 

 

Surgimento: 1920, Europa

 

Atuação: Até 1940

 

Arquitetos: William Van Alen, Walter Gropius, James Gamble Roger, Raymond Hood

 

Características:

- Rigor geométrico e predominância de linhas verticais

- Linhas circulares ou retas estilizadas

- Uso de formas geométricas

- Design abstrato

- Formas femininas e animais são as mais trabalhadas

- Influências do construtivismo, futurismo e cubismo

- Assimetria

- Divisão do edifício em 3 partes (base, corpo e coroamento)

 

Elementos:

- Grandes vãos e verticalização mais acentuada

- Reentrâncias e volumes destacados (geralmente o do acesso)

- Articulação e escalonamento de planos

 

Obras:

- Chrysler Building • Nova Iorque, EUA • Wlliam Van Alen

- Fábrica da Fagus • Alfeld, Alemanha • Walter Gropius

- Edifício Altino Arantes (Banespa) • São Paulo, Brasil • Plínio Botelho do Amaral

Moderno

  A arquitetura moderna é o reflexo das grandes inovações técnicas com a Revolução Industrial passa-se a utilizar o ferro de maneira nunca antes vista nas construções.

 

Materiais como o aço e o concreto armado dão aos arquitetos possibilidades inéditas de criação, o que faz com que este estilo se torne completamente diferente de tudo que se viu até então.

 

 

Surgimento: Fim do século XIX, Estados Unidos

 

Atuação: Ainda atuante

 

Arquitetos: Frank Loyd Right, Le Corbusier, Oscar Niemeyer, Mies Van der Rohe

 

Características:

- Linha reta

- Cores claras, predominantemente o branco

- Preocupação com a finalidade e funcionalidade da obra

- Utilização de formas simples geométricas

- Eliminação dos ornamentos

- Valorização da integração da casa com a natureza

- Forma em harmonia com a função

 

Elementos:

- Vidro

- Aço

- Concreto armado (aço com concreto)

- Pilotis

- Janelas em fita

- Térreo com planta livre

 

Obras:

- Villa Savoye • Poissy, França • Le Corbusier

- Casa da Cascata • Pensilvânia, EUA •  Frank Loyd Right

- Farnsworth House • Illinois, EUA • Mies Van der Rohe

Minimalista

A arquitetura minimalista caracteriza-se pela presença de planos perpendiculares que constroem o espaço tridimensional, a partir de uma configuração volumétrica de formas depuradas, considerada simples e refinada.
 

"Menos é Mais” é o grande princípio do Minimalismo.

 

 

Surgimento: Século XX

 

Atuação: Ainda atuante 

 

Arquitetos: Marcio Kogan, Tadao Ando, Mies Van der Rohe, Kouichi Kimura

 

Características:

- Construções com poucas linhas

- Simplicidade de formas 

- Limpa e sem excessos de ornamentação

- Cores claras

- Materiais industriais modernos

- Ambientes amplos e despojados

- Poucas paredes e divisões, os ambientes são caracterizados pelo mobiliário

 

Elementos:

- Linhas retas

- Concreto armado

- Vidro

- Aço

- Plástico

- Pilares em cruz

 

Obras:

- Casa Paraty • Paraty, Brasil • Marcio Kogan

- Casa Osler • Brasília, Brasil • Marcio Kogan

- Igreja da Luz • Osaka, Japão • Tadao Ando

Pós-Moderno

A arquitetura pós-moderna é um termo genérico para designar uma série de novas tendências cujo objetivo foi o de estabelecer a crítica à arquitetura moderna ou escola internacional, Bauhaus.

 

 

Surgimento: 1960, Estados Unidos e Europa

 

Atuação: Ainda atuante

 

Arquitetos: Frank Gehry, Philip Johnson, Richard Rogers, Richard Meyer

 

Características:

- Inovar a arquitetura Internacional (Bauhaus)

- Inovar os elementos

- Inovar os acabamentos

- Inovar materiais

- Transformar arquitetura da Bauhaus em algo nitidamente vazio

- Estruturas ousadas

 

Elementos:

- Curvas

- Formas irregulares

- Muito vidro

- Aço

- Pode haver pendentes para coberturas

- Pé direito alto

  

Obras:

- Museu Guggenheim Bilbao • Bilbao, Espanha • Frank Gehry

- Antwerp Law Courts • Antwerp, Bélgica • Richard Rogers

- The Jubilee Church • Roma, Itália • Richard Meier

 

 

 

 

Arch Search é uma empresa completamente educacional e todo conteúdo em nossas plataformas possuem Copyright © 2020 - Arch Search - Arquitetura Educacional - Todos os direitos reservados.

Os seguintes segmentos vistos em nossas plataformas tais como: • archsearchapp.com.br • Arch Search Academy • Canal Arch Search Tv - Broadcasting Architecture • Editora Arch Search • Perfis de nossas redes sociais fazem parte e são marcas registradas Copyright © da Empresa Arch Search Arquitetura Educacional.